Auto-estima lésbica

papaimamae_jpg.jpgQuando as pessoas começam a discutir sobre assumir ou não publicamente a sua homossexualidade, em geral formam-se dois partidos quase em guerra:

“Minha vida particular não diz respeito a ninguém”.

Os argumentos, em tom preocupado, são mais ou menos: “O que essa mulher faz na privacidade não precisa ser comentado aos quatro ventos”; “Seu chefe e colegas de trabalho irão prejudicá-la se souberem que ela tem uma ‘amiga'”; “sua avó ou tia ou mãe vai morrer do coração se souber que a mulher com quem ela mora há sete anos é sua namorada!”

versus

“Temos todas de assumir para educar o mundo”.

Os argumentos, ditos em tom mais irritado, são mais ou menos: “Quando uma mulher diz que é lésbica, mostra ao mundo que lésbicas existem e são pessoas comuns”; “Todos os artistas e pessoas públicas que são homossexuais deveriam admiti-lo para dar exemplo e criar modelos para os jovens”; “Quanto mais visibilidade houver, tanto menor será o preconceito”.

 

More